Uma Aula de Pranayama Ujai com Prashant Iyengar

Posicione-se num bolster, almofadao. Coloque suas mãos ao lado do quadril com os dedos em forma de xícara e mantenha a espinha ereta. Mantenha a parte de cima doa braços e os cotovelos atrás do corpo. O espaço entre o braço e a região em baixo da axila não devem ser comprimidas. Solte o barco superior da face lateral do peito. Alerte a espinha respiração por respiração e não inicie o Ujai de imediato pois não e um asana e um processo. Chegue primeiramente na sua postura ideal sentada e depois vá devagar assentando a percepção de cada respiração. 1) Você deve iniciar inalando na parte posterior da superfície anterior do peito. Você lança a respiração a partir das costelas flutuantes na base da caixa torácica. A parte da pele que vemos e a der mis. A epiderme e a camada que fica subterrânea. Fique sensível aos movimentos da pele do peito; essa e a parte anterior da superficie do peito. Exale na cabeça, garganta e peito. Inicie a inalar devagar a partir das costelas flutuantes chegando a parede posterior do peito. Abrace a parede posterior do peito com a pele, músculos, costelas e camadas de pulmões. Interaja com as partes anteriores dos pulmões. Observe como voce usa as costas, a coluna, os músculos das costas, os ombros enquanto você faz uma pronunciada inalação anterior no peito. Como as costas respondem? Olhe todas as partes mas inale na parte posterior do peito anterior. Se você não consegue realizar isso aprenda. Se você não conseguir os Pranayamas não fique desapontado, fique inspirado para aprender. Se você consegue fazer aproveite e estudo o que você esta fazendo. Se você consegue executar não fique complacente , mas torne-se um curioso sobre o que esta acontecendo. Faca tudo com atenção aguda para que as inalações não morram. Siga esse paradigma que se apresentou. Você ira inalar de maneira suave e macia permitindo que ela passe sobre a parte posterior na parte anterior do peito como uma pena. Observe como a irrigação acontece. Observe como as inalações entram nos espaços internos e como a mente responde. As inalações devem acontecer como massagem suave. 2) A parte interna da superfície das costas e a parte anterior da posterior. Você inicia agora com pronunciadas exalações tocando as costas, seus músculos, tecidos, pele. As costas agora iniciarão a agir de forma diferente por causa da exalação posterior. Quando o peito e pulmões se encherem observe como o movimento do peito explora os pulmões. Inale embaixo da pele dos ossos e músculos. Toque os tecidos duros dos ossos e moles dos músculos. “Pranicize” a espinha. Sinta as costas. Exale nas costas e depois inicie as inalações. Isso aumentara a sua percepção das costas. Isso vai te levar a perceber o movimento nos ísquios, virilhas e ílio. Sinta a iniciativa e o inicio que partem dos saquinhos de ar pulmonares dos pulmões posteriores. Pranayama não e somente completa inalação e exalação. Deve ter navegação, direção do ar e o mesmo deve irrigar todas as áreas sugeridas. 3) Agora você vai respirar com uma atenção nas laterais. Imagine que o peito (seios) situam-se embaixo das axilas.Exale e inale pelas laterais onde o peito e pulmões estão agora colocados. Inicie nos sacos de ar que estão agora nas laterais. Deixe a respiração surgir como uma massa dentro da derme da epiderme e nas camadas subterrâneas da pele. Ative a mente, a respiracao pelo propósito dessa inalação lateral. Em todas as formas acima o peito permaneceu ereto e para cima bem como a coluna. A construção da espinha, entretanto teve 3 modos diferente. Ela esteve ereta para as inalações anteriores, ereta para as inalações posteriores e ereta para as inalações laterais. A direção dessas inalações, as partes que iniciaram essas inalações e as áreas que receberam essa iniciativa forma diferentes.Essas mudanças , essa diferença e a irrigação que acontece durante a respiração. 4) Outro método de inalação pode se feito criando-se placas de inalação partindo do peito; iniciando nas paredes laterais e convergindo para o esterno. Inicie a inalação nas costelas flutuantes. Essa placa de inalação convergirá ao esterno fazendo dois compartimentos um de cada lado. Exale para tocar as costelas flutuantes. Encontre o estreitamento do peito com essa exalação. Veja como a geometria interna mudou, esse e uma outra forma de irrigação. Você pode continuar a irrigação de diversas formas mudando a direção da inalação. a) Lance a inalação na parte anterior de baixo e leve ate a parte superior anterior, exemplo: inale desde as costelas flutuantes ate a parte mais alta dos ombros b) Lance a inalação no posterior e leve ate o anterior, exemplo: exale na lombar ate as clavículas anteriores. Inibição espinhal e a psicologia da meditação. Consciência da espinha não e somente esquelética, física, muscular. Essa e a percepção que você tem enquanto faz um asana. Para entender a inibição espinhal e preciso entender a psicologia dessa inibição. Entender a inibição da expressão direta de nossos instintos, a resistência emocional a uma ação pensada. Cada inalação em meditação e uma faceta diferente dessas inibições.