Pranayamas Tecnicas e Efeitos – Dhyana Meditacao, por Geeta Iyengar

A natureza da meditação

Essa experiência estah alem de descrições e precisa ser vivida pessoalmente. O açúcar precisa ser provado para sua doçura seja constatada pois a mesma não pode ser descita. Aqui farei comentarios para que o Sadhaka possa saborear com algumas dicas o sabor da meditação. O corpo eh muitas vezes colocado como algo insignificante na pratica da meditação. Essa eh uma visão errônea. Nosso corpo eh nosso vahana, nosso veiculo e sem o  mesmo não podemos experienciar nada. Eh o nosso corpo que nos leva a iluminação ou a auto destruição. Um veiculo que não fuinciona bem não pode levar seu dono a lugar algum. Muitas vezes temos tremores e dores que devem antes ser domadas em asanas e pranayamas para depois seguirmos nos exercícios rumo a meditação. Nosso corpo ruma a realização tem degraus a serem galgados : desenvolvimetno mental, intelectual, auto estudo. Essa jornada deve ser observada e acompanhada ateh o nosso ultimo objetivo de elevação e purificação. Os primeiros quatro estágios do Yoga : Yamas, Nyamas, Asanas e Pranayamas são fundamentais para a arte da meditação; são estágios preparatórios. Pratyahara e Dharana são ligados a meditação e levam em direção ao Samadhi. A meditação eh um estado que precisa ser experienciado não eh ligado a local e tempo seu escôo e preparação eh como o horizonte. A base para um ensaio literário eh ter o alfabeto em mãos e com essa mesma humildade temos que avançar ruma a meditação. Os quatro primeiros passos desenvolvem saude, limpeza, disciplina moral, coragem , estabilidade, concentração e paz mental. A limpeza interna e externa levam o sadhaka rumo a uma jornada espiritual e o chão estah pronto para Dharana, Dhyana e Samadhi. Uma técnica esgura para a meditação eh descrita abaixo. Deve ser praticada todos os dias de 5 a 10 minutos com uma moldura mental apropriada. Mais tarde esse duração deve ser aumentada e o horário escolhido deve ser pelas manhas preferencialmente. Deve ser praticado antes de pranayamas pois a mente se encontra livre de ansiedades e desejos. Quando pranayama acontece antes o asana pode retesar o corpo e mente. Quando o pranayama eh feito depois da meditação mais atencao no fluxo e ritmo do ar podea acontecer. Pranayama deve seguir diretamente a meditação.

TECNICA:

    Asana: 1.    Sente-se em Siddhasana, Virasana ou Padmasana de preferência o ultimo. 2.    Sentar-se em qualquer dessas posturas não significa mante-las sem vida. A postura viva, limpa e ereta eh fundamental para que a experiência da meditação seja vivificada com uma meta luminosa. Espinha: 3.    Uma espinha ereta mantem a mente focada em metas de atencao e sem devaneios a pensamentos desviantes ou negativos. 4.    A espinha dorsal dita a saude e controla o corpo Cabeca e cérebro: 5.    A posição da cabeca eh fundamental. O tronco não deve sentir o pesa da cabeca tampouco a espinha. A sensação  eh de que a cabeca eh uma massa que flutua por cima da espinha. A cabeca deve estar reta, imóvel e quieta como se houvesse um fio atando a cabeca ao teto. A posição do cérebro eh o mesmo. De acordo com a Yoga o cérebro eh dividido em 2 partes: frontal e posterior. A fronte sempre pensa no mundo externo e os processos de pensamento se iniciam e ocorrem aqui. Chamamos essa porção de cérebro ativo e criativo. Quando o ego e o intelecto são enviados para dentro e para longe dos estímulos externos a existência na parte de trás da cabeca eh sentida. Eh esse o cérebro meditativo . ambos precisam se eqiulibrar para o processo meditativo. Graganta: 6.    Quando a mente vai atrás de estímulos externos isso reflete na garganta que se trava. Quando a gargante estah livre sem tensão nem contrações a mente se libera. Por esse motivo a garganta eh tida com a roda purificadora ou Visuddhi Cakra. Atmanjali: 7.    Quando o corpo todo dede o anus (Muladhara Cakra) ateh o topo do crânio (Brahmarandhra) estiver livre de tensões e estendido com expansao interior feche suas mãos em namaskara (saudacao). Afaste os ombros um do outro antes de mais nada para que o sterno não caia. Deixe que a parte mais alta dobraco esteja relaxada desde as escapulas. Traga as palmas das mãos unidas com os polegares apontados ao centro do peito e demais dedos unidos. Embora o coração cardíaco esteja na esquerda, o coração energético esta no centro atrás do esterno. Aqui o Cakra cardiacao controla a inteligência e mente ativa. Esse símbolo evoca o respeito ao Eu Superior que habita em nos (Atmanjali). Por tradição namaskara eh a maior saudação feita a Alma. Qualquer desvio das mãos no coração levarah a uma falta de alerta e presença. Ambas palmas estão submetidas a freqüência magnética do corpo. Qualquer variação de pressão nas palmas das mãos eh uma inidicacao que o estado de alera foi alterado. Similarmente toda a energia de cada lateral do corpo flui com o toque das palmas das mãos. Qualquer variação irah ser registrada pelas palmas das mãos que ativarah a mente e intelecto. Sensação, “tom” da experiência: 8.    A sensação que deve ser conquistada estah descrita no Gita Saman kayasirogriivam dharayannacalam sthira B.G . VI, 13 (permaneça com o corpo, a cabeca, e com o pescoço parados com os olhos estáticos e fique em movimento nenhum por dentro) 9.    Agora examinemos os órgãos dos sentidos: Lingua: descanse a mesma no palato inferior Pele: mantenha a pele de todo o corpo sem tensão Olhos, ouvidos e nariz: 10.    Esses órgãos são de grande importância e devem estar fechados com as palpebras rendidas e o canal auditivo equilibrado de ambos lados. Mantenha o olhar para dentro e observe: Sampreksya nasikagraim svam disascanavalokayam B.G VI, 13 (olhe fixamente para a ponta do nariz sem olhar para fora com os olhos fechados) Isso leva a pessoa a olhar para o assento cardíaco. Assim se experiência Pratyahara e Dharana ( o levar os sentidos pra dentro e concentração).o centro emocional e intelectual deve ser levado para a uniao em um único fio e isso leva a uma experiência de paz, frescor e silencio interno. 11.    A respiração torna-se calma e suave e o diafragma fica leve.O estimulo da mesma mantem os nervos calmos e não eh sentida pelo coração, umbigo e cabeca. 12.    Esse estado tem o atributo de ser alerta e inerte ao mesmo tempo. Tem um fluxo de paz que percorre o ser no centro do cakra do coracao.

Entretanto para chegar nesse estado um total controle eh essencial e um auto exame deve ser feito para identificar:

Auto exame:

(1)    Se a espinha não estiver firme e ereta o intelecto colapsa levando a um estado tamasico e prostrado. Do ponto de vista yoguico isso eh uma pratica antiética e deve ser corrigida portanto , mantenha sua coluna firme e ereta. (2)    Se um pensametno inicia o senso de paz eh interrompido desde o cérebro ateh o coração e olhos e ouvidos são levados para fora e estímulos externos. A cadeia de reações eh como segue: pensamentos perturbadores, mente perturbada, olhos perturbados, e ouvidos levados para fora e meditação perturbada (3)    Se os órgãos dos sentidos são perturbados são levados para fora e a espinha perde a sua firmeza e o cerebro perde a sua concentração. A existência muda da mente meditativa para a mente ativa e o encadeamento de pensamentos inicia-se. Tremores no corpo e respiração comprometida tomam conta. A serenidade e firmeza sentida no coração eh perdida; assim sendo eh fundamental focar na manutenção de ter os órgãos dos sentidos sob controle. (4)    Veja se os órgãos dos sentidos  te leva a uma pz dominada por tamas ou por sattva. A paz dominada por tamas leva a sensualidade e somente a sattvica leva a espiritualidade. (5)    Veja se os órgãos dos sentidos estao para dentro ou apenas passivos pois voce se sente livre de tensões. (6)    Veja se o processo de pensamentos iniciou-se e se a mente começou seus devaneios. Veja se os órgãos dos sentidos, intelecto e mente estão pra dentro ou rastreando algo fora. Busque a serenidade e paz. (7)    Cheque se as mãos no coração , centro cardíaco continuam em harmonia. Se elas estiverem em desalinho o alinhamento da mente , intelcto e alma tambem estarão fora de centro. Quando a mente estah quieta e estável, a respiração estarah quieta e calma e o corpo permanecerah calmo e quieto sem os ruídos emocionais. A mente eh o controlador e o rei dos sentidos, Prana eh o rei da mente, ritmo eh o rei do Prana. Esse ritmo eh o som (Nada) da paz interna. Esse eh o estado supremo onde o individuo chega a pergunta de Arjuna a Lord Krisna no Bhagvadgite: Sthita prajnasya kA bhasa Samadhistasya kesava Sthitadhin kim prabhaseta Kimasita vrajeta kim B. G II, 54 (qual eh a marca daquele que tem a mente estável, que esta uno com a suprema consciência, o Lorde? Como a mente estável fala , anda e senta-se?) Quando os órgãos do sentidos estão disciplinados, a mente torna-se estavel. Essa mente torna-se livre da raiva, paixões, medos. Esse mente estah livre da dor e pazer e liberta de confusões, desilusões, razão indeterminada e egoísmo. A tranqüilidade da mente fixa o intelecto discriminativo firmemente no Supremo e permanece sempre acordada ateh chegar ao estado Brahmanico. Om Santih, santih, santih