Yoga pode ajudar em desordens do Ritmo Cardíaco

Por Amy Norton HealthDay Reporter Quarta – feira, 30 de janeiro (HealthDay News) – De acordo com um pequeno estudo, as pessoas com problemas de ritmo cardíaco podem ser capazes de diminuir os seus sintomas, acrescentando uma prática de yoga suave em seu regime de tratamento. A pesquisa, publicada on-line dia 30 de janeiro no Jornal do Colégio Americano de Cardiologia, é uma das primeiras a testar os efeitos do yoga sobre a condição cardíaca, conhecida como fibrilação atrial. Especialistas alertaram que, embora os resultados sejam promissores, são necessárias mais pesquisas. A fibrilação atrial surge quando as câmaras superiores do coração palpitam caoticamente, em vez de se contrairem normalmente; isso não é imediatamente perigoso, mas pode causar sintomas como palpitações, falta de ar e tonturas. Em longo prazo, também pode aumentar o risco de acidentes vasculares cerebrais ou insuficiência cardíaca. O tratamento padrão inclui medicamentos que controlam e taxa e o ritmo do coração, e aspirina para prevenir coágulos sanguíneos. No entanto, esses tratamentos muitas vezes não são o suficiente para impedir os sintomas. No novo estudo, os pesquisadores analisaram se o acréscimo de aulas de estilo suave de yoga poderia ajudar no tratamento de 49 pacientes sob medicação. O pesquisador-líder Dr. Dhanunjaya Lakkireddy disse que seu próprio pai era um “mestre de yoga”, então ele é familiarizado com a prática. Mas ele ficou ainda mais motivado por uma pesquisa que mostrou que o yoga pode ter efeitos calmantes sobre o sistema nervoso, ajudando a baixar a pressão arterial e a freqüência cardíaca. Sua equipe descobriu que em três meses de aulas, os pacientes começaram a ter menos sintomas – uma média de duas ocorrências, contra quase quatro nos três meses anteriores às práticas de yoga. Ainda assim, o yoga não é substituto para a medicação, disse Lakkireddy, cardiologista da Universidade de Kansas Hospital e Centro Médico, em Kansas City. “Apenas yoga não resolve o problema”, disse ele. “Você ainda precisa tomar os medicamentos adequados e seguir as recomendações do seu médico. Mas isso sugere que o yoga pode ser um complemento fantástico”. O estudo envolveu 49 pacientes com fibrilação atrial paroxística – uma forma em que os sintomas surgem de repente e depois acabam por conta própria, geralmente dentro de 24 horas. Nos três primeiros meses, os pacientes continuaram com suas atividades habituais. Depois, nos próximos três meses, eles tiveram sessões de uma hora de duração de yoga com um professor certificado, pelo menos duas vezes por semana. Algumas pessoas optaram por vir todos os dias. Uma limitação do estudo é que não houve uma pesquisa simultânea com grupo de pacientes que não tiveram aulas de yoga, de acordo com o cardiologista Dr. Nieca Goldberg. Então, isso faz com que seja menos certo que foi o yoga que trouxe o benefício. “Mais pesquisas são necessárias, mas estas descobertas são muito promissoras”, disse Goldberg, diretor médico do Centro de Saúde da Mulher na NYU Langone Medical Center, em Nova York Mas ela também ressaltou que é importante que as pessoas saibam que existem diferentes estilos de yoga, e alguns podem ser inadequados ou até mesmo perigosos para pessoas com problemas de coração. “Este estudo utilizou uma forma leve de yoga”, disse Goldberg. “Os resultados não falam por todos os estilos de yoga.” Especificamente, os pacientes do estudo tiveram aulas no estilo Iyengar, em que os movimentos têm um ritmo lento e enfatiza o alinhamento adequado nas posturas, respiração e relaxamento. Alguns outros estilos de yoga são mais extenuantes, como o estilo conhecido como “vinyasa”. Há também aulas de “hot yoga”, onde a temperatura da sala de aula é mantida a 40°. “Nós nunca recomendaríamos “hot yoga” para um paciente cardíaco, Goldberg ressaltou. Tudo isto dito, Goldberg tem sugerido aulas suaves de yoga para alguns de seus pacientes cardíacos. Tanto ela quanto Lakkireddy disseram que os pacientes que estão interessados ​​em yoga devem obter o aval de seu médico primeiro. Claro, Goldberg observou, o seu médico pode não ser capaz de recomendar um programa de yoga específico. Nesse caso, ela sugeriu se consultar na sua academia local ou um centro de idosos e perguntar sobre aulas voltadas para idosos ou pessoas com doenças do coração. Lakkireddy disse que alguém com fibrilação atrial, que é relativamente jovem e saudável poderia tentar uma aula de Iyengar Yoga regular. Mas não se esqueça de falar com o professor sobre a sua condição cardíaca antes da aula, disse ele. Nos Estados Unidos, estima-se que cerca de 2,7 milhões de pessoas têm fibrilação atrial. Além de fibrilação atrial paroxística, existem duas outras formas: persistentes e permanentes. Lakkireddy disse que suas descobertas não se aplicam a esses tipos da doença. Mais informações sobre fibrilação atrial: U.S. National Heart, Lung and Blood Institute. Tradução do site: http://news.health.com/2013/01/30/yoga-may-help-with-common-heart-rhythm-disorder/