Prashant Iyengar e Aulas de Savsana, postura do Morto II

(Cont.)

Savasana 3ª Aula

A ação de passar de sentado a deitado requere tempo. Isso por que os pulmões se encontram em zona de abalo sísmico! Todos os movimentos causam vibrações nessa área sensível. A mente o corpo e todos os sentidos causam alterações que chegam aos pulmões. Acomode-se e inicie o suave circuito respiratório nas bandas nasais e vocais. Como no inicio da aula você oferece uma honra silenciosa, uma prece silenciosa, nas exalações acompanhe com um OM levando você mesmo a outro estado de vibração interno. Nas preces você oferece a Deus flores, frutas, água, leite, mel, as exalações devem ser todas essas oferendas adicionadas do canto OM. Exale cada vez mais lentamente e profundamente que você chegara a tocas emoções profundas. Exale evacuando todo o conteúdo de seu corpo, mente, intelecto e emoções. Sinta o estado de profunda realização quando esse rito se completa.

Savasana 4ª Aula

A nossa face e feita de três segmentos:

1) Da boca a garganta que responde pelo futuro; 2) Das sobrancelhas ao nariz que corresponde ao presente; 3) Acima das sobrancelhas que corresponde ao passado. Preâmbulo: Savasana iniciara pela parte baixa, por exemplo, a banda vocal. A 3ª e 4ª exalação será lenta, rarefeita e completa. Deixe o movimento da consciencia entrar nessas cavidades e exale desde os lábios ate a base da garganta. Movimente-se da banda do meio ate a de cima. Condicione-se adequadamente. Deite-se em Savasana. Ajuste os glúteos e extremidades baixas. Ajuste a torácica dorsal e as extremidades superiores. Acomode-se mentalmente, fisicamente, na respiração e nos sentidos. A respiração será volátil então deixe acontecer e acomodar-se num ritmo. Deixe a respiração que e volátil, feroz e aguda se render. Posicione o Savasana fisicamente, esqueleticamente, muscularmente, e então trabalhe a nível celular. Isso só pode ser feito nas exalações. Deixe as suas costas acomodarem-se nessas exalações. Trabalhe no 1º segmento da face. Leve as exalações as narinas e veja as exalações condicionadas. Quando as narinas estiverem sensíveis permita que a 3ª e 4ª exalações fluam gentilmente, lentamente, e de forma rarefeita. Deixe as exalações profundas e reflexivas. Exalem no lábio inferior, dentes inferiores, palato inferior, mandíbula inferior e garganta. Sinta SEEPAGE da respiração enquanto você exala. A movimentacao da consciencia não tomara lugar apenas nas regiões inferiores, mas também nas partes medias e inferiores. Mas observe microscopicamente o que acontece com a parte baixa. As exalações são como musicas de ninar ritmadas. Musicas de ninar sensíveis e delicadas. As exalações vão sugerir reflexão e um estado de meditação ao lábio inferior, dentes, palato e língua. Agora estude a movimentacao da consciencia. Perceba o fluxo da exalação como uma tinta entrando na cavidade de seus dentes. Faca as exalações suaves a cada ciclo e faca ciclos normais entre uma e outra. Agora trabalhe na segunda parte da face. Exale os olhos, globo ocular, retina, sobrancelhas ate as pálpebras e orelhas. Exale nos lábios superiores e na parte de cima do maxilar e sinta o movimento da consciencia. Sinta a tintura, o tingimento que e injetado com as exalações permeando a banda da face do presente. Enquanto você observa essa banda da face do presente de forma microscópica observe de forma telescópica as bandas de passado e futuro pois você notara o movimento da consciencia nessas regiões. Traga as exalações de forma suave, melodiosa, ritmada para sugerir o estado meditativo. Agora trabalhe na terceira parte da face. Exale através das sobrancelhas e acima delas. Deixe as exalações escorrerem do crânio ate a testa. Deixe passear sobre as laterais do crânio para trás e depois ir ate a raiz do cérebro. O crânio deve tornar-se poroso para que a movimentacao da consciencia penetre. Observe se existe trafego livre na parte frontal dessas exalações. Faca mais um ultimo ciclo de abandone-se.

Não condicione mais nada

Imagine a saga da consciência desde a 1ª palavra nessa aula ate a ultima sentença; a saga da consciência; a saga da mente; não reinvidique o estado grogue de Savasana. Deixe persistir.