O que ocorre com nosso corpo mente durante a prática de Iyengar Yoga.

Existe uma fala metafísica de que nosso corpo físico, emocional, mental e espiritual é uma única coisa. Soa intangível, irreal, no mínimo distante não soa? Pois experimente entregar-se a titulo de experimento a uma pratica regular de Iyengar Yoga. Paulatinamente você vai, através das posturas (asanas) despertar a consciência de partes virgens ou entorpecidas de seu corpo. E, de repente, insights irão surgir sobre o modo de levar a sua vida, sobre como você se apresenta a você mesmo. Insights surgirão sobre tuas emoções, talvez você sinta mais clareza e fluência para nomear as suas próprias emoções. Trata-se de um processo que eu posso exemplificar com uma pequena parte de meu caminho pessoal. Passei por dores emocionais e uma depressão muito grande a uma década atrás quando eu ainda não havia entrado em conato com o Iyengar Yoga. Eu padecia do que a psiquiatria chama de paciente bipolar, mas no meu ver eu sofria de uma cisão interna muito grande e desconexão com meu Eu Superior. Uma pessoa dotada de uma sensibilidade muito grande, de uma criatividade abundante formadora de idéias e projetos apaixonantes. A cisão dava-se na hora de eu colocar essa forca mental e emocional criativa no plano terreno. Nessa etapa eu me deparava repentinamente com uma falta de chão, de paciência de zelo com esses planos todos. O meu próprio mapa astral apontava para um ser com “absolta falta do elemento terra”. Pois é.com a ajuda do Iyengar Yoda, a profunda disciplina requerida nas permanências, alinhamentos eu fui gradativamente chegando mais uma vez no planeta terra. Literalmente eu pude e posso observar ate hoje meus pés, desde então se abrindo, meus artelhos, panturrilhas, joelhos, coxas se alinhando e fortalecendo acompanhado de um grande presente para minha vida: a forca necessária para realizar concretamente. Percebo o quanto um pe físico bem plantado no chão coopera para que meus projetos também se “plantem” nessa esfera. Tudo se conecta mais hoje em dia, se integra: pernas e pés mais firmes, mente mais clara bolando planos mais viáveis e generosos, coração mais aberto e suave podendo incluir mais e operar de forma amorosa e coletiva e, finalmente, espírito presente: uma oração acontecendo nas menores coisas da vida: nos encontros, nas respirações. “Raízes e Asas”, uma conquista lenta, permanente que me preenche com o genuíno sentimento de gratidão por estar simplesmente encarnada cumprindo desígnios mais nobres e simples como o de estar, por exemplo, presente e unificada.