Início e Evolução do processo de Certificação nos EUA

By Pat Musberger

Como você aprendeu a ensinar yoga? Felicity Green: No começo ninguém sabia o que fazer então olhávamos o que Guruji fazia e fazíamos como ele. Nós aprendemos pelo exemplo. E, claro, você tinha a sua prática para te ensinar. Joan White: Eu aprendi a ensinar yoga observando como Guruji estava ensinando. Eu estudei como ele se comunicava com a gente, como ele sequenciava os asanas … como ele era capaz de assumir os problemas dos outros em seu próprio corpo e mostrar como corrigir os erros que eles estavam fazendo. Era como escola, colégio, faculdade e pós-graduação, tudo em um. Patricia Walden: eu aprendi a ensinar yoga, ensinando Yoga. Não havia ninguém por perto para me ensinar a ensinar. Eu tinha uma cópia do Luz na Yoga que eu praticava diariamente. Foi a única coisa que fiz, onde eu estava totalmente engajada, e não só isso, mas eu me sentia feliz fazendo isso durante, e depois, então eu decidi que iria ensinar. Foi o primeiro “emprego” que eu tive, embora eu nunca chame de trabalho “ensinar yoga”. iyengar-yoga-01 Há 33 programas oficialmente aprovados de treinamento de professores listados pelo Manual de Certificação da IYNAUS (Associação Nacional de Iyengar Yoga dos Estados Unidos) em 2012.Todos os dias há vários studios e institutos que oferecem worshops dedicados a ensinar professores a ensinar. O treinamento abrange de asanas básicos a filosofia. As metodologias variam de aprendizagens individuais a programas plurianuais formais. Mas, no início, havia apenas B.K.S. Iyengar e o Luz na Yoga. Como chegamos ao nosso atual sistema de formação de professores e certificação é o que queremos descobrir. Na segunda parte, na próxima edição do Yoga Samachar, vamos examinar os programas de formação de professores e o que o futuro nos reserva. Na primavera de 1974 o Sr. Iyengar fez sua primeira visita a São Francisco. Esta visita inspirou professores da área a formarem o que acabou se tornando o Iyengar Yoga Institute de San Francisco, que incluiu o primeiro programa de educação de professores nos EUA durante a década de 70 e início dos 80. O Sr. Iyengar incentivou seus melhores alunos a ensinar. Eles, por sua vez, escolheram os seus melhores alunos para começar a ensinar. Quando os professores no Reino Unido foram obrigados a ter um certificado para que eles pudessem ensinar em programas de educação de adultos, Guruji confiou a um número de professores a concessão de certificados de ensino introdutório. O desenvolvimento de um processo de certificação foi significativo na evolução da formação de professores de Iyengar Yoga porque criou normas e diretrizes para os programas de formação de professores. Embora não houvesse nenhuma associação nacional neste momento, houve uma série de regionais. Métodos utilizados na costa leste e oeste variaram um pouco, mas o Sr. Iyengar sancionou ambos e sempre tinha a palavra final. Tanto as Associações do Sul e quanto as do Norte da Califórnia tiveram comitês de certificação e uma relação formal com o Sr. Iyengar. A professora Intermediário III Ariane Hudson, que mais tarde tornou-se a Presidente do primeiro Comitê de Certificação da IYNAUS (Associação Nacional de Iyengar Yoga dos Estados Unidos) , descreve o processo: “Até 1983 os professores de nível Introdutório não eram avaliados, mas eram observados durante as aulas e, então, recomendados por um professor sênior – dos quais havia provavelmente menos de 10 no país -, a um comitê de certificação, presidido por Larry Hatlett da IYANC (Associação de Iyengar Yoga do Norte da Califórnia). O comitê, selecionado pelo Sr. Iyengar, incluía Ramanand Patel, Manouso Manos, Mary Dunn, Judith Lasater, e Felicity Green. O candidato geralmente ensinava uma classe que um desses professores observava. A comissão então aprovava ou negava o pedido de credencial, e davam sugestões de melhoria. Todas as decisões eram submetidas ao Sr. Iyengar para aprovação. O Sr. Iyengar concedia todos os certificados acima do nível Introdutório.” Enquanto isso, na costa leste eles tiveram uma abordagem um pouco diferente, de acordo com a ex-presidente de Certificação da IYNAUS, Joan White. Logo no início ela presidiu uma comitê que incluía Patricia Walden, Karin Stephen, e Victor Oppenheimer. Suas diretrizes e exames para aspirantes a professores, com base no processo usado no Reino Unido, se assemelhava ao nosso atual sistema. Em uma entrevista ao Yoga Samachar em 2005, Joan salientou que todos os candidatos a professores de nível introdutório foram testados e certificados pelo próprio Guruji – depois dele ter visto a prática e ensino deles repetidamente. first-international-iyengar-yoga Em 1984, na primeira Convenção Internacional de Iyengar Yoga realizada em San Francisco, um método consistente para a formação de professores começou a surgir. Instrutores sêniors ensinavam e o Sr. Iyengar ia de aula em aula para ajudar e ter contato pessoal com os professores e os alunos. Após a convenção, Guruji viajou para o sul da Califórnia para observar aulas lá. O espaço utilizado, do La Canada espaço YMCA foi dividido em quatro áreas para as classes simultâneas. Em um artigo de 2004 para o Yoga Samachar, Bonnie Anthony e Anna Delury lembraram como o Sr. Iyengar mostrou o caminho para os 50 professores presentes: “Guruji andou de quadrante em quadrante, falando, gritando, advertindo, elogiando-nos, ensinando como ensinar. ” Este método de ensinar professores continuou em convenções posteriores e intensivos. O modelo de ensino de pares surgiu na Convenção de 1987 em Cambridge, MA. Aqui, os pequenos grupos compartilhavam o que aprenderam e como eles entenderam o ensinar. Além disso, Guruji andou de classe em classe para observar os professores. A ex-professora de Iyengar Yoga Judith Lasater se lembra de como ele instruiu os professores para “tentar desta forma, tentar assim. Ponha-se no seu corpo, aprenda como ele se sente quando você faz errado, então aprenda a fazer direito para que você possa ensiná-los! Essa é a arte de ensinar.” Outras pessoas gostam de enfatizar a importância que o Sr. Iyengar deu ao ensino de uma direção ou um ponto por vez e o ficar com esse ponto até que os alunos “consegui!”. A Certificação regional continuou em ambas as costas e no Centro-Oeste. Duzentos e cinqüenta professores certificados participaram da convenção de 1990 em San Diego. Durante essa convenção, o Sr. Iyengar ensinou numa masterclasse, mas também entrou e saiu de classes menores ensinando aos professores sêniors a suportar o processo de ensino entre os professores”, de acordo com a professora Sênior Intermediário I, Lisa Walford. Além disso, naquele ano, a Associação das biorregiões do Centro-Oeste produziu o filme “A Arte de Ensinar”. Feito durante uma visita de Guruji a Chicago, ele instruiu u os professores sobre elementos importantes a serem resolvidos durante o ensino. (Embora o filme não esteja mais disponível, a transcrição foi publicada na revista da convenção para a convenção de 2004, em St. Paul). Naquela reunião de 1990, o Sr. Iyengar e muitos outros sentiram que havia chegado a hora de criar uma associação nacional para promover um sentido de unidade no seio da comunidade, simplificando o treinamento de professores e o processo de certificação, entre outras coisas. Embora levasse até 1992 para a incorporação como uma organização nacional, a IYNAUS saiu da convenção de 1990. A transição das avaliações regionais para uma única avaliação nacional não foi assim tão fácil. Os originais três níveis de Introdutório, Intermediário e Avançado, eventualmente, evoluiram para cinco: Introdutório, Júnior Intermediário, Sênior Intermediário, Júnior Avançado e Sênior e Avançado. Acima de Júnior Intermediário, a concessão era feita pessoalmente pelo Sr. Iyengar. A necessidade de desenvolver e implementar um programa de formação de professores e criar um manual de formação de professores tornou-se evidente. Kristin Chirhart, o segundo presidente de Certificação da IYNAUS, começou esse trabalho, mas por causa da natureza complicada e difícil da tarefa, ela não foi concluída até meados da década de 90, durante o mandato de Laurie Blakeney. O Sr. Iyengar retornou aos Estados Unidos em 1993 para Ann Arbor, a convenção de Michigan. Além de conduzir masterclasses pela manhã, toda tarde, ele caminhava ao longo das plataformas de observação das quadras de squash, onde pequenas turmas estavam sendo ensinadas. Ele observou, aconselhou, e melhorou o ensino. A Convenção de 1996 em Estes Park, Colorado foi nomeada Intercâmbios de um Professor e contou com Dr. Geeta S. Iyengar no primeiro encontro aberto apenas para professores certificados. O objetivo declarado da convenção -” esclarecer e construir uma compreensão de como ensinar os princípios do Iyengar Yoga”, manifestou-se como sessões de ensino de pares, Perguntas e Respostas, e fóruns de tópicos especiais. Antes da Convenção de 2001, em Pasadena, CA, os níveis de certificação foram divididos nos 14 segmentos atuais. Alguns, como o nível introdutório original, com suas 63 posturas, foram considerados demasiado pesados para serem práticos em uma avaliação. A convenção de Pasadena, aberta a todos os praticantes experientes, teve duas sessões de formação de professores. O DVD, disponível na loja da IYNAUS, mostra Geeta trabalhando com professores de vários níveis de ensino, em situações de pares. Geeta também se reuniu com os professores das aulas de tópicos facultativos. Seqüências de aula foram refinadamente esclarecidas, criando mais uniformidade no ensino. A publicação das Diretrizes Básicas para Professores de Yoga de BKS e Geeta S. Iyengar em 2002 tornou o método recomendado de instrução, disponível para todos os professores certificados e para todos os candidatos a professor. Isto foi seguido em 2004 pelo manual Yoga em Ação: Curso Preliminar, de Geeta Iyengar. Estes dois livros, juntamente com o Manual de Certificação atual da IYNAUS, proporcionam uma base para as classes de professores e programas de ensino em todo o país. Na revisão do Curso Preliminar, a falecida Maria Dunn escreveu “fornece um programa sistemático para o ensino da arte e da ciência do yoga … [Geeta tem] providenciado esquemas para que nos tornemos melhores professores de nós mesmos e dos outros. Ela tem tanto padronizado quanto atualizado nosso ensino e nossa aprendizagem “. bks-aluna A convenção de 2004, a primeira sem um membro da família Iyengar presente, foi chamada Parampara. Esta é a cadeia de transmissão oral e de capacitação passada de professor para discípulo. Durante a sessão de professores da convenção, as classes foram divididas de acordo com o nível de certificação. Mais professores seniores transmitiram como praticar e ensinar o currículo do próximo nível de Asana e Pranayama. Na tradição do Parampara, eles capacitaram os alunos com o conhecimento e habilidade para se tornarem melhores professores – o mesmo conhecimento e habilidades adquiridas por seu professor. A formação de professores tinha fechado o círculo. O círculo continua a se expandir e isto será examinado na Parte II: O Agora & O Futuro. Pat Musburger (Júnior Intermediário I) é diretora da Casa da Árvore Iyengar Yoga na área de Seattle. Ex-membro do Conselho da IYNAUS, ela também é ex-presidente da Associação de Iyengar Yoga do Noroeste. Ela estende um agradecimento especial a Laurie Blakeney, Chirhart Kristin, Green Felicity, Hudson Ariane, Patricia Walden, e Joan White por sua ajuda nas pesquisas para este artigo. Fonte: http://iynaus.org/yoga-samachar/springsummer-2012/beginnings-and-evolution