Equilibrando os elementos em um Ásana por B.K.S. Iyengar – Parte 01

Quando você ou eu fazemos um Ásana, existem diversas partes do corpo que estão conetados aos cinco bhutas: prithvi – terra, Ap -água, Tejas – fogo, Vayu – Ar e  Akasha – Éter. Mas a outra parte qualitativa dos butas – os tanmatras que são Shabda – Som, Sparja – Tacto, Raja – Sabor, Gadar – Aroma, Rupa – Visão, também fazem parte e têm uma participação grande para a vivência do sádhana. Uma luz intelectual, vai nascer em você e no seu sádhana, somente quando você tocar os aspectos qualitativos dos bhutas. Eu estou falando isso, pois o aspecto prático só pode ser apresentado de forma prática. Por exemplo, quando você faz Tadasana, todos vocês ficam em pé sobre os seus pés. Vocês tocam o bhutas, mas não tocam Tanmatras.

O que são Tanmatras nesse caso?

Nós temos o corpo grosso, Stula Saira. Cada uma e todas as partes têm um Stula, uma parte grossa, e Sukshma, uma parte sutil, que se entrelaçam, que estão unidas. Eles se entrelaçam e se unem mesmo através das ações grossas. Movimentos grossos pertencem ao bhutas , que um indivíduo, na sua média, consegue aprender; mas existem partes sutis, movimentos sutis, que pertencem ao Tanmatras. Esses precisam ser acordados, porque eles não aparecem de forma fácil na superficie. Por exemplo, você toca os montes do pé no chão, quando você está em Tadasana. Você já pensou em tocar as partes sutis da sola e do calcanhar? Você, por algum momento, já pensou em tocar a parte entre os montes do pé, que são as partes sutis? Nós nunca tocamos essas partes, essas são as partes sutis – Sukshma , e eu as chamo de Munis ou Sábios. Os Sábios dormem , enquanto a maioria das pessoas está acordada. E os Sábios, os Munis, acordam, quando a maioria dos indivíduos vai dormir. Essas partes sutis, que eu chamo de Munis, acordam quando o indivíduo comum vai dormir. Então quando você toca o espaço entre esses montes, você acorda o Munis em você. É dessa forma que você deve entender a qualidade de Krishna, que é o Mestre do Yoga. Você precisa de entender e ver como podemos implementar o que ele fala, na nossa vida prática e na nossa prática. Nós temos estágios grossos e sutis no nosso corpo: o Estado Stula e o Estado Sukshma. Que correspondem ao caráter de prithvi – terra e Akasha – Ar, mas não existem Tejas – fogo no nosso estado. Então os montes do pé que são Stula ou a parte grossa, precisa pegar o fogo , o poder de Sukshma , da parte Sukshma, e agir com a interprenetação da sabedoria – Jñâna Se você for divergir o poder dos montes do pé, para a área e o espaço entre os montes, que são a parte sutil e tentar manter essa região no chão, então um novo pensamento, uma nova ideia e uma nova abordagem se estabelece na sua prática. Você precisa identificar qual é a parte sutil em cada Ásana. A parte superior, do calcanhar interno é a parte sutil em Tadasana. Se você estiver fazendo Tadasana e eu te perguntar se você precisa colocar o seu calcanhar no chão e você dizer sim, mas se você realmente prestar atenção, você vai ver que existem umas partes menores que não estão tocando. Os Ásanas estão aí para subjugar essas áreas e nós não trabalhamos para subjugar essas áreas, porque a nossa inteligência tem uma barreira. Você pensa que os bhutas são importantes, mas você não percebe a tamanha importância de Tanmantras. Então você precisa de estudar o espaço, a parte sutil, em cada Ásana. Patanjali diz que vitarka-bādhane pratiprakṣa-bhāvanam esse é um sutra muito legal. Vitarka-bādhane pratiprakṣa-bhāvanam. Quando você faz Trikonasana do lado direito, a parte sutil da sola abre, mas o calcanhar colapsa. Em contraste, se você observar o lado esquerdo, então o calcanhar se alarga , mas a sola colapsa. Trikonasana da parte direita , a sola se abre e o calcanhar colapsa. Trikonasana do lado esquerdo, o calcanhar se alarga e a sola colapsa. Este é o significado prático de Pratipaksa Bhavanam Bhávana é um sentimento. E Bardana é um sufocamento. Você precisa de ser muito discriminativo no seu pensamento, quando você está praticando. Você precisa de observar o que acontece no espaço quando você faz Trikonasana. Do lado direito, veja o que acontece o que acontece no lado esquerdo. Observe o espaço, o comprimento, a largura entre os montes do pé direito e como esse espaço entre os montes do pé esquerdo é perdido. A pele da sola se expande , enquanto o calcanhar se encolhe do lado direito e é o oposto que acontece no lado esquerdo. Então o calcanhar se alarga, enquanto a pele da sola do pé se encolhe. Ásana é um jnana marga muito sutil. Ásana é um caminho do conhecimento muito sutil. Ásana não foi feito apenas para o bem-estar físico do homem como tem sido entendido na atualidade. Você encontra alguma alguma palavra em alguns dos 196 Yogasutras que fala sobre Aryoga , saúde.Ele apenas mencionou sobre os impedimentos que acontecem no nosso Sádhana. Em lugar nenhum, ele mencionou Aryoga ou saúde, ou saúde doente, somente os impedimentos para o Sádhana foram mencionados, não como Naro Kha.. Hatha Yoga Pradipika menciona esse fato, mas não Pantajali. Não existe entre os 196 Yogasutras de Pantajali , uma fala sobre Aryoga que é saúde. Precisamos de pensar e entender o quê o originador disse e o que estamos nós interpretando. Não existe uma palavra como Aryoga, é mencionado Shauca que, muitas vezes, é de forma perta relatada à saúde, mas não é Aryoga. Precisamos conetar e interligar entre os dois lados do corpo. Em Trikonasana não deve haver desvio do lado direito e esquerdo. Mesmo com o pé direito em 90º graus para fora e o esquerdo com apenas 30º graus para dentro. Posso eu sentir o espaço e o lugar em todos os Ásanas como em Tadasana seja em pashu konasana, cucuta ásana, não deve haver contorsões em nenhum Ásana. Quando você está fazendo Tadasana , você precisa de compreender o quão importante é interpretar o Tadasana em outros Ásanas. Por exemplo, quando você faz Shirshasana , observe as várias funções do corpo, desde o pé até ao tronco, até à axila em Shirshasana. Porquê você se move? Prashant mencionou, várias vezes, nas aulas dele, que Shirshasana nada mais é do que Tadasana Invertido. Isso é literalmente correto, mas o Yoga nos ensina como colocar essa literalidade, esse pensamento literal, na prática. Então a teoria e a prática se unem, se combinam e aí você atinge maturidade no entendimento e na prática. Até chegar lá, a sua prática é que está ainda em desequilíbrio ou do avesso. Você pode ser intelectualmente muito forte, ou você pode avançar na sua prática , não sabendo se o seu processo de pensamento entrou em contato com o seu processo de ação. Em Shirshasana , os pés estão no ar e em Tadasana , os pés estão no chão. Em Tadasana, os pés agem como prithvi tattva, o elemento terra. Enquanto em Shirshasana , os cotovelos são o prithvi tattva, esse mesmo elemento terra. Em Shirshasana, você precisa reconhecer que você precisa de colocar os seus antebraços no chão. Da mesma forma que você coloca os pés no chão em Tadasana. Você precisa de realizar de que os antebraços, são de fato os seus pés em Shirshasana. Você precisa de estudar para saber manter os seus dedões em Tadasana. Os dedões não são colocados tão forte no chão quanto as solas e os calcanhares, eles permanecem no ar. Você precisa de saber como ajustar os dedões em Shirshasana. Existe uma pista: a parte inferior dos dedões não tocam com clareza o chão, mas a sola e os calcanhares tocam na sua totalidade. Você precisa agora de pensar como ajustar os dedões em Shirshasana, porque eles estão no ar. Você precisa de encontrar o espaço oscilante , saber como esse espaço oscila e o pé oscila. O pé em Shirshasana, o calcanhar do antebraço não toca, exatamente, da mesma forma como o espaço entre os montes dos pés. Então você precisa de considerar que esses são os espaços dos montes e que entre os montes está Sukshma sthula , isso é chamado de Marma sutil, então as partes sutis também devem tocar juntamente com a parte grossa. Eu estou tocando o meu osso. O osso é a parte central do corpo, observe a carne, a fibra , observe a pele. O osso deve ser a parte central , o ponto focal, O osso pertence a prithvi tattva , o elemento terra e a qualidade da terra,da estabilidade. O osso deve ser a fundação em como conquistarmos estabilidade no Ásana e é o osso que te fornece estabilidade no Ásana, não a carne. Todos fazem shirshasana com ap-tattva , um elemento da água , são os músculos. Enquanto você negligencia prithvi tattva que são os ossos.